CG x Realismo


Computação gráfica 3D x Foto-realismo. Um assunto um tanto quanto comum em artigos/tutoriais e muito frequente na cabeça dos usuários que, geralmente, não sabem o segredo de como dosar os dois. Porque é tão difícil trazer harmonia as duas coisas juntas? E, se existem tantos tutoriais, porque eu não consigo fazer um render assim? A verdade é que: não há segredo. Sim, não existe segredo. Se existe, ou nome dele é experiência ou ninguém soube decifrá-lo.

Primeiro vamos tentar definir o foto-realismo. Foto-realismo, segundo a Wikipedia, “é o genero de pintura baseado em uso de câmera e fotografia para “puxar” informações e, dessa informação, criar uma pintura que pareça muito com uma fotografia.” Transcrevendo isso para 3D: é o genero de imagem baseada em  aproximações físicas a partir de imagem/estudo científico e afins e, a partir de tais informações, criar uma imagem/modelo que pareça muito com o que vemos. Ou seja, foto-realismo não é só render, esculturas digitais, por exemplo, são geralmente foto-realistas. Por isso devemos dar atenção especial a cada detalhe. Mas vou falar sobre render, que é o foco do meu Blog. Ultimamente venho pensando bastante sobre isso: o que eu faço pra um render ser foto-realista? Tudo o que eu falar agora faz parte do meu workflow de renderização e do que eu penso e isso varia de artista para artista, portanto, pode variar do que você lê por ai. São dicas!

  1. Materiais, texturização e iluminação – Não consigo classificar qual deve vir primeiro, mas a verdade é que os três se complementam. Porém eu gosto de dar atenção especial aos materiais. Para falar a verdade, eu tenho uma doença: quando estou fazendo um projeto pessoal, fico vendo as coisas e reparando quais as características dessa e daquela superfície. E sobre iluminação eu não preciso nem comentar né? Mesmo vício que eu tenho de ficar vendo as coisas para “identificar” os materiais, tenho para ficar vendo sombras e etc. Que Nerd, hahahahaha… não sou assim não.
  2. Pós-produção – Você é um daqueles caras que “gostam do render como sai do forno”? Para com isso… Pós-produção é essencial em um render foto-realista. Mas claro, não estamos falando de Pintura Digital, e sim de correção de cor/gamma e etc. Um render com pós-produção é bem mais impactante que um render sem pós-produção.
  3. Modelagem – Por último, mas não menos importante. Coloque alguns cubos empilhados e tente convencer uma pessoa que é um sofá… não dá certo. Proporção dos móveis também é importante. Sem falar que a escala é de extrema importância para renderizadores. Vamos ver isso mais a frente.

Não citei o renderizador pois quero ser imparcial nesse post, mas é, sem dúvida, a parte mais importante de se atingir o foto-realismo mais facilmente. Alguns renderizadores possuem características únicas ou mais avançadas que outros. Mas no geral, todos nós usamos bons renderizadores e pra todos eles é preciso conhecer cada tópico que eu citei para se conseguir um bom render. Citei também os tópicos de acordo com a importância, mas a verdade é que não existe o mais importantes, todos os fatores dependem entre si. Render foto-realista não existe sem uma boa modelagem, ou uma boa iluminação, pós-produção… Enfim, todos são mutuamente dependentes.

Definitivamente, não sou o melhor, mas posso dar umas dicas para vocês de como deixar seu render arquitetônico mais realista. Lembrando que são dicas, e não fórmulas!

MATERIAIS, TEXTURIZAÇÃO E ILUMINAÇÃO

Antes de tudo, vamos definir o que é material e textura, ou melhor, deixa eu falar pra vocês o que eu entendo de material e de textura. Material é como determinada superfície reage a presença da luz, ou seja, alguns objetos refletem (espelho, vidros, porcelana), alguns refratem (materiais transparentes em geral) e outros absorvem (pedra, epiderme)  luz. Textura são as características de cor de cada superfície, ou seja, algumas são coloridas, outras neutras… Penso também que textura está dentro do material assim como a gema está dentro do ovo (???????). Agora que estamos sintonizados, vamos começar.

Lembro que, quando comecei com foto-realismo, eu achava que iluminação era a parte mais importante de um render. Hoje, depois de algumas experiências vividas, já não acho isso. Penso que boa parte do realismo atribuido a cena é por causa dos materiais, pois são eles que, ao meu ver, remetem você a realidade – juntamente com a texturização. Aquelas cenas abandonadas são as que mais exige trabalho de texturas. Porém o trabalho de texturas que eu falo aqui é quase sempre com editor de imagem e, infelizmente, nunca vi nenhum tutorial que aborde isso: montagem de texturas. Porém não é difícil, basta ter “as mãnha” (máscara de camadas, sobreposição de camadas…) e saber onde procurar texturas. O site Blender Total fez 6 posts indicando alguns sites com texturas, abaixo deixo o link para todos os posts:

Iluminação. Um bom trabalho de iluminação, juntamente com a pós-produção, torna o render muito mais impactante ou artístico. Geralmente, iluminação difusa, ofuscante e de fim de tarde são as mais comuns e que mais trazem impacto ao render – vide Toy Story 3 e Up! Eles conseguem passar algo a mais para quem vê o filme, além da própria história, do próprio momento do filme. É incrível o trabalho de iluminação dos caras. É importante lembrar também que o renderizador é de extrema importância nesse quesito, pois alguns renderizadores simulam o rebatimento da luz de forma incrivelmente parecido e seus sistemas de Sun/Sky são incrivelmente reais – na minha opinião, RenderMan, MentalRay entre outros – e aumenta consideravelmente o realismo. Saber colocar luzes e deixar a cena clara é fácil, saber iluminar é uma característica que só o tempo pode te dar.

PÓS-PRODUÇÃO

Quando eu comecei com foto-realismo, eu ficava imaginando como seria essa tal pós-produção. Talvez você também tenha a mesma dúvida, e vou tentar esclarecer pra você. Você já editou alguma imagem sua? Já deixou mais claro ou alterou a foto original? Bom, isso é edição de imagem, ou seja, pós-produção (pós = depois, após; produção = produção, oras). A pós-produção também ajuda a atribuir valor artístico ao render ou passar uma atmosfera mais impactante. É importante ressaltar que eu não gosto daquela pós-produção que mexe muito no render, virando uma pintura digital. Gosto da pós-produção que passa realmente um valor mais artistico a imagem.

“A tarde”, feito pelo cara mais gato do Brasil.

A imagem acima não é um grande exemplo, mas dá pra perceber o que é uma pós-produção básica. Eu aumentei o contraste e a claridade da cena, aumentei a saturação e multipliquei o render pelo Ambient Occlusion. Se quiser ver uma pós-produção mais elaborada, veja o making of da imagem Kyeo, autor Xelptic. Enfim, hoje estamos rodeados de editores de imagem, até o próprio Blender nos dá um editor de imagem (Node Editor) que, aliás, é ótimo. Abaixo listo alguns tópicos importantes sobre a pós-produção:

  • Correção de cor ou Curva de cor;
  • Gamma;
  • Saturação;
  • Contraste;
  • Sobreposição de camadas;
  • Entre outros…

Artistas que tem conhecimento de fotografia, principalmente sobre câmeras, tem uma certa vantagem, pois conhece todos os efeitos reais de uma câmera – vide Bertrand Benoit. Em renderizadores que simulam a câmera real a vantagem é tremenda, mas mesmo o Yaf(a)Ray (que não simula a câmera real, como o LuxRender), é possível absorver esses conhecimentos e usá-los na pós-produção. Sem falar que uma foto tirada de uma câmera convencional possui alguns defeitos, granulação e aberrações… Abaixo listo alguns termos de fotografia para que vocês tomem nota e usem:

  • Aberração cromática;
  • Viggneting;
  • Distorção de lente;
  • Velocidade do obturador (F-stop);
  • Sensibilidade (ISO);
  • White Balance.

Não sou fotógrafo, por isso não sou especialista nisso. Mas é, no mínimo, importante você saber o que cada um desses nomes faz. Se você procurar saber ao menos um pouco de cada tópico aqui, acredite, você deu um passo gigantesco para chegar num render foto-realista!

MODELAGEM

A modelagem também é um ponto de grande importância num render. Imagina você tentar dizer que um sofá é um sofá com alguns cubos empilhados? A cortina, por exemplo, é um objeto que só fica legal com uma boa modelagem ou uso do Cloth. Complicado… Objetos em destaque ou que serão peças principais no render merecem uma maior atenção ao detalhes, simplesmente pelo fato de ser uma peça que vai atrair os olhos do observador. No caso de um sofá, tenha um foto ou algum desenho para você se basear. Em carros tenha a maior referência possível, pois geralmente o render de um carro é só o carro, dando total atenção ao mesmo. Modelar em escala real (1unidade = 1 metro) e em proporções reais também é super importante, pois imagine um pé direito com 2,70 e o sofá com 1 metro de assento… Não dá, não rola. Sobre modelar em escala real, deixe-me tentar explicar… Qualquer render que possua iluminação global ou que a sombra de suas luzes tenha a capacidade de se “desfazer” de acordo com a distância (soft shadow ou area), você precisa modelar considerando 1unidade = 1 metro. É preciso considerar isso porque imagine duas situações:

  • Uma caixa de 1m²;
  • Uma sala de 10m².

Suponha que você tenha duas lâmpadas exatamente iguais em termos de intensidade e que você colocou uma lâmpada em cada local. A caixa de 1m² ficará bem mais clara que a sala de 10m², lógicamente. Consegue entender? Cena modelada sem atenção às medidas e proporções vira um caos.

Bom, não é o melhor texto do mundo, mas dá para o gasto né? Comentem!

Anúncios

Tags:, , , , ,

6 responses to “CG x Realismo”

  1. Solano says :

    “Que Nerd, hahahahaha… não sou assim não”

    Xi, eu sou… 😛

  2. Alisson P. S. (newkay) says :

    Amigão, com certeza isso foi uma ótima iniciativa sua, vai ajudar muito as pessoas a conseguirem, entender como funciona o fotorealismo, e ter paciêcia de alcança-lo.

  3. Adelson says :

    Ótimo post, realmente ajuda muito.E há também, outro ponto importante, capacidade de observar até os detalhes e traduzir esse ponto de vista em arte 3D, e isso, você possui.

  4. antonlr says :

    Mto legal, informações mto úteis como sempre! vlw!

  5. Luís says :

    Utilidade pública! Parabéns pelo texto cara. Seu site parece ser bem legal, pena que é sobre o Blender e eu uso o 3ds Max. Mesmo assim da pra absorver muita coisa.

  6. victorphellipe says :

    Oi Luís,

    O Blog é sobre Blender, mas esse artigo eu fiz para todos os usuários que tenham interesse no tema. Que bom que tenha sido útil para você!

    Abraço,
    Victor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: